13.10.10

"Fazer Marketing – O que é isso?"



(Texto integral e imagem retirados da página Marketing Portugal )


Muitas vezes, o Marketing fica reduzido à comunicação. É importante desmistificar e explicar, afinal de contas, o que é isto do “Marketing”?

Muito se especula sobre o que é mais importante, se o Marketing, a Comunicação, ou as Vendas. Na minha óptica, independentemente da importância, todos devem trabalhar de forma integrada em prol de objectivos comuns e com uma estratégia partilhada.

A comunicação (onde se inclui a força de vendas) obviamente que é, uma das variáveis importantes do Marketing, principalmente porque é a parte mais “visível” de toda a estratégia

Acho que é importante partilhar visões e reflexões sobre esta temática pelo grande desconhecimento que existe relativamente às potencialidades do Marketing.

O “nosso” Marketing só ganhará expressão e evoluirá quando as empresas (independentemente da sua dimensão) perceberam a importância do Marketing.

Considero que, cada vez mais, o Marketing assume um papel indispensável para qualquer empresa, mas, sem dúvida alguma, que nem toda a gente percebe as mais-valias da sua implementação.

É igualmente importante alertar que o Marketing tem sido bastante banalizado pelo excesso de cursos e pelo excesso de profissionais no mercado. Antes de integrar um departamento de Marketing na sua empresa/organização (mesmo que em regime outsourcing), procure referências e informações que possam sustentar a sua “aposta”.

Partilho uma pequena lista, que refere alguns pontos (não todos!) que podem caracterizar o Marketing.

Confesso que esta lista poderia ter o dobro dos tópicos que tem, mas, foi meu interesse sintetizar ao máximo esta informação.

“Marketing é tudo e tudo é Marketing”

1. Fazer Marketing é conhecer o mercado e identificar oportunidades e ameaças

2. Fazer Marketing é conhecer a nossa concorrência e estar atento às suas movimentações

3. Fazer Marketing é conhecer as nossas competências internas (pontos fortes e fracos)

4. Fazer Marketing é conhecer a envolvente macro-ambiental (factores Políticos, Legais, Económicos, Sociais, Culturais, Ecológicos, tecnológicos..)

5. Fazer Marketing é definir objectivos específicos, mensuráveis, atingíveis, realistas e ambiciosos.

6. Fazer Marketing é segmentar o mercado (dividir os clientes e potenciais clientes em grupos com características mais ou menos homogéneas)

7. Fazer Marketing é identificar o segmento de maior valor para uma empresa/produto/marca/serviço

8. Fazer Marketing é posicionarmo-nos no mercado, tendo em conta as exigências do cliente

9. Fazer Marketing é criar estratégias de identificação e diferenciação no mercado

10. Fazer Marketing é definir que acções implementar

11. Fazer Marketing é definir estratégias de preço, comunicação, produto, distribuição..(entre outras)

12. Fazer Marketing é saber em detalhe quais os melhores canais de comunicação

13. Fazer Marketing é focar as atenções nas pessoas e nos processos

14. Fazer Marketing é orçamentar e saber em detalhe o investimento necessário

15. Fazer Marketing é fazer previsões

16. Fazer Marketing é motivar, envolver, formar, informar, credibilizar

17. Fazer Marketing é planear e executar

18. Fazer Marketing é criar metodologias

19. Fazer Marketing é monitorizar, acompanhar, actualizar e controlar

20. Fazer Marketing é criar cenários diversos para tentar estar prevenido num mercado cada vez mais dinâmico

21. Fazer Marketing é promover a interacção

22. Fazer Marketing é direccionar a empresa para o cliente/potencial cliente

23. Fazer Marketing é tentar, constantemente, garantir o futuro

24. Fazer Marketing é seguir códigos deontológicos e ter ética profissional

25. Fazer Marketing é pesquisar..muito!


· Fazer Marketing é conjugar todos estes 25º tópicos, traduzindo-os em beneficio para uma empresa/organização, criando valor acrescentado para o cliente (interno e externo), seguindo todos os padrões éticos.

É importante partilhar e divulgar este tipo de conhecimento para que, de uma vez por todas, o Marketing seja conhecido e entendido por todos, por aquilo que ele é e representa no mundo empresarial. Só assim poderemos fazer Marketing!


O autor:

Paulo Morais

Docente na pós graduação de Marketing Digital – IPAM
Consultor de Marketing da
JRS Pharmarketing
Marketing & Partners Manager do
RCM Pharma
Project Manager
Marketing Portugal
Mestrando de Gestão de Marketing no IPAM
Pós Graduado em Direcção de Marketing e Vendas pelo ISCTE
Licenciado em Gestão de Marketing pelo IPAM – Matosinhos

17.5.10

Arranca hoje a Semana do Marketing

Começa hoje a 11ª edição da Semana Nacional do Marketing, uma iniciativa da Associação Portuguesa dos Profissionais do Marketing (APPM). O ponto alto está reservado para quinta-feira, dia do Congresso Internacional do Marketing, marcado para o ISCTE (Lisboa), que abordará o tema Inovação em Tempos de Mudança. Jeremy Gutsche, fundador do Trendhunter.com, será o keynote speaker. Gutsche é também autor do livro Exploiting Chaos, que mostra como as empresas conseguem prosperar em tempos de crise.

Ao longo da semana vão decorrer os Encontros do Marketing no IPAM de Aveiro, de Lisboa e do Porto, na Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, no Instituto Superior de Comunicação Empresarial, no Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo da Universidade do Algarve e na Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão. A fechar a semana, na sexta-feira, será a vez do Congresso de Estudantes de Marketing e Comunicação, marcado para o ISCTE.

(texto retirado daqui)

12.5.10

Eu trocava o que temos cá por este

PS - partido da sinceridade

video

5.5.10

Estarão os mistério do futuro escritos nos encantos do passado?


Existem Obras que, teimosamente, perduram ao longo dos anos sem perder a lucidez intemporal que carregam e o significado da mensagem que transmitem. Admiro essas peças de arte, particularmente as que chegam até mim na forma de Música, Publicidade, Representação e Literatura.
Um destes exemplos surgiu em 1871, quando Eça de Queirós e Ramalho Ortigão começaram a escrever "As Farpas".
"As Farpas" foram publicadas em fascículos entre Maio de 1871 e Novembro de 1872, momento em que Eça de Queirós abandonou a publicação, que continuou a ser escrito apenas por Ramalho Ortigão e que teve continuidade até 1882. (mais informação aqui)

Fica um pequeno trecho escrito em 1872 que ilustra a intemporalidade desta obra.

"...Nós estamos num estado comparável sómente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento de caracteres, mesma decadência de espírito.
Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva, poderá ...vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se a par, a Grécia e Portugal".

Pode fazer o download da obra no site da biblioteca nacional digital.

4.5.10

All days are Marketing days

Não importa o sector de mercado. Não é relevante a posição que a empresa ocupa. O apertado orçamento não é impeditivo.

Todos os dias são dias de entrar em contacto com o cliente.

TODOS OS DIAS.

Ligar na segunda-feira, visitar na terça. Envia um email na quarta-feira e convidar para um evento na quinta. Levar o cliente até ao site na sexta-feira e repensar tudo de novo no sábado.

Todos os dias são dias de Marketing.

27.4.10

Where did community go?

As contradições do nosso tempo:
A partilha do conhecimento é cada vez maior e a oferta do sentimento é menor.
Jogamos cada vez mais jogos e fazemos menos desporto.
Estamos por dentro dos acontecimentos e não saímos fora de casa.
As nossas músicas entram-nos por um ouvido e as conversas com os amigos saem pelo outro.
...
where did community go?

video

Este video foi realizado para a YMCA, uma associação de caridade em Vancouver, que promove o bem-estar físico e mental.

26.4.10

Prevenção Rodoviária

Muito bom este filme publicitário da responsabilidade do Governo de Inglaterra.
Os dois factores que um filme de sensibilização deve ter: Simplicidade e genialidade.
Mais informações sobre a campanha em http://www.sussexsaferroads.gov.uk/


video

21.4.10

The mantra of Marketing

The mantra of Marketing: C C D V T P
"Create, Communicate and Deliver Value to a Target market had a Profit" Philip Kotler


video

12.4.10

AMOR E MARKETING

Texto de Graça Ramos, consultora de Marketing, empresária e sócia gestora da MGR (comunicação, marketing e eventos). O texto foi publicado em new@this por Nuno Batista.

"No século passado, uma moda passageira criou o "marketing de guerra”. O publicitário americano All Ries fez fortuna defendendo a idéia de que a guerra ou até mesmo a guerrilha do marketing contra a concorrência era o grande caminho estratégico.

Ligeiro equívoco...

Marketing não é guerra, é amor. Não compensa, economicamente, concentrar os esforços e investimentos no combate ao concorrente. É mais fácil, mais barato, mais eficaz e até mais divertido amar o cliente. Atrair, encantar e fidelizar são as palavras mágicas do marketing contemporâneo. Aliás, palavras mágicas da sabedoria universal milenar. “Ainda que eu falasse a língua dos anjos... sem amor eu nada seria,” epístola de São Paulo aos Coríntios ou se você preferir “onde houver a discórdia...que eu leve o amor”, São Francisco de Assis.

Você conhece alguém semi-analfabeto, no interior de uma terra árida e pobre, sem capital, contando com apenas doze homens pobres e semi-analfabetos, alguns analfabetos, e que consegue construir um império que resiste há mais de dois mil anos, e fideliza um terço da humanidade? Chama-se, este gênio da gestão de pessoas, Jesus Cristo. Pregava o amor, não a guerra. penso que deu certo...

Investir na guerra, em marketing, custa caro. Não constrói e não gera lucros. Investir na relação com o cliente, por outro lado, gera resultados, preços e margens melhores, custos de marketing mais racionais e econômicos, esforços concentrados e controláveis. Se você gasta uma verba na televisão para dizer a todos que seu produto é melhor do que o concorrente seus resultados são duvidosos e não podem ser medidos. Se você investe num “software” de tecnologia, melhora o atendimento de seus clientes, enfim faz o verdadeiro marketing de relacionamento, você gasta menos, e controla totalmente, com a precisão do computador, o resultado de seus esforços.

O marketing moderno exige controle rigoroso de resultados. Combatendo o concorrente você não sabe medir resultados, atraindo e fidelizando o cliente, você pode até usar meios eletrônicos para controles precisos dos resultados.

As pessoas pensam que marketing de relacionamento é oferecer brindes e promover festas sociais. Grave erro. Isso é cortesia, de resultado duvidoso. Marketing de relacionamento é atendimento, modernamente com base na tecnologia. Empresas com êxito mercadológico têem uma política totalmente baseada na relação com o cliente, não gastam em propaganda de marca, só de vendas. Conquistam a liderança do mercado mundial investindo na relação direta com o cliente. Investindo, portanto, no amor.

Amor não é um ideal romântico da gestão empresarial. É uma política, apoiada num sistema, fruto de uma decisão estratégica de marketing. Séria e organizada. Quem não tem amor ao cliente não precisa de consultoria, precisa de tratamento psiquiátrico. Quem não ama seu cliente não vende, e pode até quebrar.

A falta de amor é a mais importante patologia das organizações."